4 hábitos que podem afetar a pressão arterial

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
4 hábitos que podem afetar a pressão arterial

O risco da pressão arterial não é apenas genético

A pressão arterial não está relacionada apenas a genética, mas também ao estilo de vida, como a dieta, rotina de exercícios e hábitos de sono.

Muitas pessoas sabem que uma dieta com alta quantidade de gordura, sal e açúcar, acompanhada de um estilo de vida sedentário, pode ser um risco para pressão alta.

Entretanto, especialistas alertam as pessoas acerca de outros hábitos que podem ter um impacto na pressão arterial.

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

Remédios que não precisam de prescrição

Pessoas que utilizam medicamentos que não precisam de prescrição médica para tratar dores menores, podem ter altas na pressão arterial. Por exemplo, remédios anti-inflamatórios como o naproxeno e ibuprofeno, podem aumentar a pressão arterial.

Medicamentos como o acetaminofeno (Tylenol) são menos propensos a causar um aumento da pressão arterial. Porém, remédios descongestionantes que não precisam de prescrição, também são conhecidos por elevar a pressão arterial.

Medicações usadas para tratar a saúde mental, medicamentos orais para controle de natalidade, imunossupressores, medicamentos contra o câncer e esteróides, também podem elevar a pressão arterial.

Café ou bebidas alcoólicas

Tanto o álcool quanto a cafeína podem contribuir para o aumento da pressão arterial.

É recomendado limitar a cafeína a cerca de 2 a 3 xícaras de café por dia, uma vez que ajuda a evitar que a pressão arterial alcance níveis preocupantes.

O álcool deve ser limitado a “não mais de um drinque por dia para as mulheres e não mais de dois para os homens,” disse a Dra. Elizabeth A. Jackson, MPH, professora de medicina no Departamento de Doenças Cardiovasculares da Universidade do Alabama.

Ingredientes e suplementos alimentares

Suplementos e certas combinações de alimentos também podem levar à pressão arterial elevada.

Nem todos os suplementos que são rotulados como “naturais” são considerados seguros. Suplementos de ervas e remédios caseiros que usam ingredientes, tal como o alcaçuz, podem levar à hipertensão, por exemplo.

Além disso, alimentos com queijos fortes e até mesmo de soja, podem conter altos níveis de tiramina. Esta substância pode interagir com antidepressivos, resultando em episódios hipertensivos.

Diferentes impressões no diagnóstico da pressão alta

Algumas medições podem dar incorretamente um resultado de hipertensão no consultório médico. Isso significa que as pessoas podem acabar tomando medicamentos desnecessários para a pressão alta, causando ansiedade.

Se a pressão arterial for mais alta no consultório médico, a pressão em casa fornece aos pacientes e aos seus médicos uma imagem precisa de como o diagnóstico tem relação com o ambiente natural.

Para obter uma medida precisa, meça a pressão arterial usando um dispositivo portátil bem calibrado e com boas baterias.

Prepare-se esvaziando a bexiga, evitando cigarros ou cafeína por 30 minutos antes da medição e permanecendo em silêncio por alguns minutos antes de fazer uma leitura.

Como saber se você está com problemas ?

Sob as diretrizes atuais, a pressão normal têm um número sistólico (superior), menor que 120 e um diastólico (menor), menor que 80.

A hipertensão de estágio I ocorre quando o número sistólico está entre 130 e 139 e a diastólica entre 80 e 89. A hipertensão no estágio II ocorre quando a sistólica está maior que 140 e diastólica maior que 90.

Se a pessoa está com pressão alta, sistólica maior que 180 e uma diastólica maior que 120, os sintomas são de dor no peito, tontura ou falta de ar.

Para qualquer pessoa nesta situação, é aconselhado ir ao pronto-socorro mais próximo, pois o risco de acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco é muito alto.

O risco da alta pressão arterial

A elevada pressão arterial é um fator contribuinte para uma série de condições de saúde perigosas, como:

  1. Hipertensão
  2. Ataque cardíaco
  3. Derrame

Fonte: Health Line

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!