7 alimentos que podem causar acne 

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
7 alimentos que podem causar acne 

Visão geral sobre acne

A acne é uma condição de pele comum que afeta quase 10% da população mundial.

Muitos fatores contribuem para o desenvolvimento da acne. Incluindo a produção de sebo e queratina, bactérias, hormônios, poros bloqueados e inflamação. 

A ligação entre a alimentação e a acne gera controvérsia, mas pesquisas recentes mostram que a dieta pode ter um papel significante.

Esse artigo irá revisar 7 alimentos que podem causar acne e discutir a importância da qualidade da sua dieta. 

Está com alguma dúvida? Pergunte aos nossos especialistas e veja algumas respostas que já temos!

1)Grãos refinados e açúcar

As pessoas com acne tendem a consumir mais carboidratos refinados do que as pessoas com pouca ou nenhuma.

Alimentos ricos em carboidratos refinados incluem:

  • Pão, biscoitos, cereais ou sobremesas feitas com farinha branca
  • Massa feita com farinha branca
  • Arroz branco e macarrão de arroz
  • Refrigerantes e outras bebidas açucaradas
  • Adoçantes como açúcar de cana, xarope de bordo, mel ou agave

Um estudo descobriu que as pessoas que consumiam frequentemente açúcares adoçados tinham um risco 30% maior de desenvolver espinhas, enquanto aquelas que comiam regularmente doces e bolos tinham um risco 20% maior.

O risco aumentado pode ser explicado pelos efeitos que os carboidratos refinados têm nos níveis de glicose e insulina. 

Os carboidratos refinados são absorvidos rapidamente na corrente sanguínea, o que aumenta rapidamente os níveis de açúcar no sangue. Quando o açúcar no sangue aumenta, os níveis de insulina também aumentam. Isso acontece para ajudar a transportar os açúcares do sangue para fora da corrente sanguínea e para dentro das células. 

Contudo, níveis altos de insulina não são bons para as pessoas que têm acne.

A insulina faz com que os hormônios andrógenos fiquem mais ativos. Isto contribui para o desenvolvimento de espinhas, já que as células da pele crescem mais rapidamente, aumentando a produção de sebo. 

Por outro lado, as dietas glicêmicas, que não aumentam drasticamente o açúcar no sangue ou os níveis de insulina, estão associadas à redução da gravidade das erupções cutâneas.

Enquanto as pesquisas sobre esse tópico são promissoras, mais pesquisas são necessárias para entender como os carboidratos refinados contribuem para o desenvolvimento das espinhas.

2) Laticínios 

Muitos estudos encontraram uma ligação entre laticínios e uma maior gravidade das espinhas nos adolescentes.

Dois estudos também descobriram que jovens adultos que regularmente consomem leite ou sorvete eram 4 vezes mais propensos a sofrer de acne.

Contudo, os estudos conduzidos até agora não foram de alta qualidade. 

Até agora, as pesquisas tiveram como foco principalmente os adolescentes e jovens adultos e apenas mostraram uma correlação entre o leite e a acne, e não uma relação de causa e efeito. 

O leite é conhecido por aumentar os níveis de insulina, independentemente dos seus efeitos no açúcar sanguíneo, que podem piorar.

O leite de vaca também contém aminoácidos que estimulam o fígado a produzir mais IGF-1, que já foi ligado ao desenvolvimento de acne.

3) Fast Food

A acne é fortemente associada com uma dieta estilo ocidental rica em calorias, gorduras e carboidratos refinados. 

Os itens de fast food como hambúrgueres, nuggets, cachorros quentes, batatas fritas, refrigerantes e milkshakes, são os principais pilares de uma dieta ocidental típica e podem aumentar o risco.

Um estudo com mais de 5.000 adolescentes e jovens adultos chineses descobriu que dietas ricas em gordura eram associadas a um risco 43% maior de desenvolver espinhas. Comer regularmente esses alimentos aumentava o risco em 17%. 

4) Alimentos ricos em ômega-6 

As dietas que contêm grandes quantidades de ácidos graxos ômega 6, como uma típica dieta ocidental, foram ligadas a um aumento nos níveis de inflamação.

Isso pode ocorrer porque as dietas ocidentais contêm grandes quantidades de óleos de soja e milho, que são ricos em ácidos graxos ômega-6, e alguns alimentos que contêm ômega-3, como peixes e nozes. 

Esse desequilíbrio de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 empurram o corpo para um estado inflamatório, que pode piorar a gravidade. 

Por outro lado, a suplementação com ácidos graxos ômega-3 pode reduzir os níveis de inflamação e reduz a gravidade. 

Enquanto as ligações entre os ácidos graxos ômega-6 e acne são promissoras, não houve estudos controlados aleatórios sobre este tópico, e mais pesquisas são necessárias.

5) Chocolate

Muitas pesquisas informais ligaram comer chocolate a um maior risco de desenvolver espinhas, mas isso não é o suficiente para provar que o chocolate causa.

Um estudo mais recente descobriu que os homens propensos a acne que consumiam 25 gramas de chocolate 99% amargo diariamente tiveram um aumento no número de lesões acneicas após apenas duas semanas.

Outro estudo descobriu que os homens que receberam cápsulas de 100% de cacau em pó diariamente tiveram significativamente mais lesões de espinhas após uma semana em comparação com aqueles que receberam placebo. 

Contudo, um estudo descobriu que comer chocolate aumenta a reatividade do sistema imunológico a bactérias causadoras, o que pode ajudar a explicar essas descobertas. 

6) Whey Protein em pó

O Whey protein é um suplemento dietético popular.

É uma fonte rica dos aminoácidos leucina e glutamina. Esses aminoácidos fazem as células da pele crescerem e se dividirem mais rapidamente, o que pode contribuir para a formação de espinhas.

Os aminoácidos no Whey protein também podem estimular o corpo a produzir mais insulina, que foi ligada ao desenvolvimento.

Muitos estudos relataram uma ligação entre o consumo de Whey protein e lesões acneicas em atletas homens.

Outro estudo descobriu uma correlação direta entre a gravidade e o número de dias tomando suplementos de whey protein.

Esses estudos sustentam uma ligação entre Whey protein e acne, porém, mais pesquisas são necessárias para determinar se o Whey protein pode causar. 

7) Alimentos aos quais você é sensível 

Tem sido proposto que a lesões acneicas  é, na sua raiz, uma doença inflamatória. 

Isso tem como base o fato de que remédios anti-inflamatórios, como os corticosteróides, são tratamentos eficazes para a acne grave e que pessoas com espinhas têm níveis elevados de moléculas inflamatórias no seu sangue.

Uma maneira pela qual os alimentos podem contribuir para a inflamação é através da sensibilidade alimentar. Também é conhecido como reações de hipersensibilidade tardia. 

A sensibilidade alimentar ocorre quando o seu sistema imunológico identifica erroneamente alimentos como uma ameaça. A partir disso, lança um ataque imune contra ele. 

Isso resulta em níveis altos de moléculas pró-inflamatórias circulando ao longo do corpo, o que pode agravar. 

Já que há inúmeros alimentos que o seu sistema imunológico pode reagir, a melhor maneira de descobrir é seguir uma dieta  de um nutricionista. 

As dietas de eliminação funcionam ao restringir temporariamente o número de alimentos em sua dieta. Em seguida, sistematicamente adicionar os alimentos de volta ao mesmo tempo rastreando seus sintomas e procurando padrões.

Os testes de sensibilidade alimentar, como o Teste de Liberação do Mediador, podem ajudar a determinar quais alimentos levam à inflamação. Com isso, fornecem um ponto de partida mais claro para a sua dieta de eliminação.

Enquanto parece haver uma ligação entre inflamação, nenhum estudo investigou diretamente o papel específico da sensibilidade alimentar no seu desenvolvimento. 

Essa permanece como uma área promissora de estudo para nos ajudar a melhor compreender como os alimentos.

O que comer?

Existem alimentos e nutrientes que podem ajudar a manter a sua pele limpa. Esses incluem: 

  • Ácidos graxos ômega-3

Os ômega-3 são anti-inflamatórios, e o consumo regular tem sido associado a um risco reduzido de desenvolver. 

  • Probióticos:

Os probióticos promovem um intestino saudável e um microbioma equilibrado, que está ligado à redução da inflamação e a um menor risco de desenvolvimento.

  • Chá verde:

O chá verde contém polifenóis que estão associados à redução da inflamação e à diminuição da produção de sebo. Descobriu-se que os extratos de chá verde reduzem a gravidade quando aplicados à pele. 

  • Cúrcuma:

O açafrão-da-terra contém o polifenol curcumina anti-inflamatório, que pode ajudar a regular o açúcar no sangue, melhorar a sensibilidade à insulina e inibir o crescimento de bactérias, o que pode reduzir as espinhas. 

  • Vitaminas A, D, E e zinco:

Esses nutrientes desempenham papéis cruciais na saúde da pele e do sistema imunológico e podem ajudar a prevenir.

  • Dietas de estilo paleolítico:

As dietas Paleo são ricas em carnes magras, frutas, vegetais e nozes e pobres em grãos, laticínios e legumes. Elas têm sido associadas a níveis mais baixos de açúcar no sangue e insulina. 

  • Dietas de estilo mediterrâneo:

Uma dieta mediterrânea é rica em frutas, legumes, grãos integrais, legumes, peixe e azeite de oliva e quase não contém laticínios e gorduras saturadas. Também tem sido associada à redução da gravidade da acne. 

Conclusão 

Enquanto algumas pesquisas ligaram certos alimentos a um maior risco de desenvolver acne, é importante ter em mente toda a situação.

De uma maneira geral, os padrões alimentares tendem a ter um impacto maior sobre a saúde da pele.

Consuma alimentos com maior risco de desenvolver acne com equilíbrio. Se possível, com os outros alimentos densos em nutrientes discutidos acima.

Enquanto isso, pode ser benéfico manter procura alimentos com padrões entre os alimentos que você está comendo e a saúde de sua pele.

Você também pode trabalhar com um nutricionista para conseguir mais conselhos personalizados.

Fonte: Health Line

Está com alguma dúvida? Pergunte aos nossos especialistas e veja algumas respostas que já temos!