Cachorros: seus melhores amigos na saúde e na doença

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Cachorros: seus melhores amigos na saúde e na doença

Contexto

Segundo estudos, seu cachorro pode trazer benefícios a sua saúde. Ainda não se tem certeza de quando os cachorros foram domesticados pela primeira vez. Mas, um estudo publicado no ano passado alega que, pelo menos na Europa, eles viraram animais de estimação há 20.000 ou 40.000 anos.

 

Não tem plano de saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já

 

Amigos históricos

Claro, os cães, historicamente, têm sido ótimos em manter a nossa segurança e de nossas casas. Eles protegem também o gado e vários bens materiais. Ao longo da história,  os humanos também usariam o adestramento para caçar.

Entretanto, os cachorros também são- e talvez sempre tenham sido- companheiros preciosos. Eles são famosos por sua lealdade e vontade de colocar um sorriso nos rostos de seus donos.

 

Cego botão cartão Doutor Já

Uma Alternativa aos Planos de Saúde

 

A pesquisa

Agora, nós apresentamos a pesquisa que mostra como o seu cachorro te deixa mais feliz, mais forte quando passamos por dificuldades e estresse. Além disso, eles também te fazem bem fisicamente, te deixando mais saudável.  

 

Os cachorros me fazem ficar bem?

Muitos estudos mostram que ter cães como animais de estimação te faz ter uma saúde física melhor. No ano passado, o Medical News Today relatou em um estudo que ter cachorros reduz o risco de morte prematura em até um terço.

Além disso, pesquisadores na University of Harvard, relataram que os donos de cães tem um menor risco de doenças cardíacas.

 

Como os cachorros melhoram minha saúde?

Os benefícios podem aparecer por causa do ajustes no estilo de vida que você tende a fazer após decidir adotar um amigo canino.

Um dos fatores mais impactantes é a atividade física. Não há como evitar: se você tem um cachorro, você precisa se comprometer a caminhar duas vezes ao dia – e às vezes até mais.

De acordo com um artigo publicado na Journal of Physical Activity and Health, os donos de cachorros tendem a caminhar mais por lazer em comparação às pessoas que não tem um cão. As pessoas que tem cachorro também tem mais chance de caminhar mais do que as que tem gato.

Além disso, muitos estudos recentes- incluindo um da University of Missouri  e outro da Glasgow Caledonian University – descobriram pessoas com 60 anos ou mais tinham uma saúde melhor graças ao exercício “forçado” que eles faziam ao andar com os seus cães.

Ao longo de uma semana, esse tempo adicional de caminhada pode ajudar muito. Ela pode ser suficiente para atender às recomendações da Organização Mundial de Saúde de pelo menos 150 minutos de atividade física moderada à vigorosa.

 

Na barriga

Os cachorros podem fortalecer a nossa saúde não apenas quando envelhecemos, mas também antes, muito antes do que isso: antes de termos até nascido.

Uma pesquisa publicada no ano passado mostra que quando as mães passavam algum tempo perto de cachorros durante a gravidez, os bebês tinham um risco menor de desenvolver eczema no início da infância.

E não para por aí: crianças expostas a certas bactérias de cachorros também tiveram redução dos sintomas de asma, os pesquisadores notaram.

 

Os cãezinhos fazem as pessoas se sentirem bem

Ao dividir a sua vida e casa com um amigo canino você sente o bem-estar na hora. 

É muito difícil não se animar, mesmo após um dia difícil de trabalho, quando você é recebido com entusiasmo pelo seu amigo peludo. Isso, os pesquisadores explicam, é devido ao efeito do ‘hormônio do amor’- oxitocina.

 

Amor compartilhado

“Durante as últimas décadas,” escreveram os autores de uma análise que apareceu em Frontiers in Psychology, “a ajuda animal em terapia, educação e cuidado tem aumentado consideravelmente.”

Quando interagimos com os cachorros, os nossos níveis de oxitocina aumentam. Como esse é o hormônio em grande parte responsável pela ligação social, essa “injeção de amor” hormonal aumenta nosso bem-estar psicológico.

Estudos anteriores revelaram que os donos de cachorros conversam melhor com as pessoas. Além disso, a presença de amigos caninos tornam as pessoas mais confiáveis e também merecedoras de confiança.

 

Quando não estamos bem

Além disso, os cães reduzem os sintomas de depressão e tornam as pessoas mais fortes ao estresse. Por isso que os cachorros são frequentemente usados como animais de terapia.

Os pesquisadores acreditam ainda que terapias com cachorros podem melhorar o bem-estar psicológico das crianças em tratamento de câncer. Os caninos também podem ajudar indivíduos a lidar com sintomas e até mesmo prevenir episódios de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

 

O que as pesquisas podem nos ensinar?

Na verdade, o seu companheiro canino pode te dar dicas sobre os seus próprios problemas de saúde.

Um estudo revela que os cães compartilham certas condições metabólicas- tal como obesidade- com seus donos humanos. Entender a alimentação deles e como eles lidam com a comida, pode te ajudar a melhorar seus próprios hábitos alimentares.

 

Gente como a gente?

Os cachorros também podem desenvolver algumas formas de câncer. De forma muito parecida com a nossa, os cães podem ter tumores cerebrais. Isso pode ser transformado em pesquisa sobre câncer para pacientes humanos.

Os cachorros podem ter também certas características da demência, como dificuldade em resolver problemas. “Os cachorros”, observa a Dra. Rosalind Arden, da Escola de Economia e Ciência Política de Londres, “são um dos poucos animais que reproduzem muitas das principais características da demência. (…)Então, entender as suas habilidades cognitivas poderia ser útil para nos ajudar a entender (…) essa condição nos humanos.”

 

Muito mais do que um rostinho bonito

Os cachorros não são só muito fofos e amigos muito engraçados  que fazem palhaçadas na internet. A companhia deles também te mantém em boa forma física. Além disso, os problemas de saúde caninos – infelizmente, mas de forma carinhosa- muitas vezes imitam os seus. Você o recebe na sua vida porque ele traz alegria e calma. E sozinho, você demoraria muito mais para conseguir.

 

Fonte: Medical News Today