Descubra tudo sobre as vacinas

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Descubra tudo sobre as vacinas

O que são vacinas?

As vacinas são uma importante forma primária de prevenção. Isso significa que elas evitam que as pessoas fiquem doentes. O sistema imunológico do corpo ajuda a proteger contra doenças que causam infecções. Na maior parte do tempo é um sistema eficiente. Ele deixa os microorganismos fora ou rastreia-os e se livra deles.

Contudo, alguns patógenos podem sobrecarregar o sistema imunológico. Quando isso acontece, doenças graves podem ser causadas.

Os patógenos que são mais propensos a causar problemas são aqueles que o corpo não reconhece. A vacina é uma maneira de “ensinar” ao sistema imunológico como reconhecer e eliminar um organismo. Dessa maneira, o seu corpo está preparado se você for exposto.

As vacinações nos permitiram controlar doenças que já ameaçaram muitas vidas, como:

  • Sarampo
  • Poliomielite
  • Tétano
  • Coqueluche

É importante que o maior número de pessoas seja vacinado. As vacinas não protegem apenas os indivíduos, mas também toda a sociedade quando pessoas suficientes são vacinadas.

Isso ocorre através da imunidade de grupo (efeito rebanho). As vacinações generalizadas tornam menos provável que uma pessoa suscetível entre em contato com alguém que tenha uma doença em particular.

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

Como a vacina funciona?

Um sistema imunológico saudável defende o corpo de invasores, ele é composto por vários tipos de células. Essas células defendem contra e removem patógenos perigosos. Contudo, elas precisam reconhecer que um invasor é perigoso.

A vacina ensina o corpo a reconhecer novas doenças. Ela estimula o corpo a produzir anticorpos contra antígenos de patógenos. Também estimula as células imunológicas a lembrar dos tipos de antígenos que causam a infecção. Isso permite uma resposta mais rápida à doença no futuro.

As vacinas funcionam ao expô-lo a uma versão segura da doença. Isso pode tomar a forma de:

  • Uma proteína ou açúcar da composição de um patógeno
  • Uma forma morta ou inativada de um patógeno
  • Um toxóide contendo toxina feita por um patógeno
  • Um patógeno enfraquecido

Quando o organismo responde à vacina, ele constrói uma resposta imunológica adaptada. Isso ajuda a equipar o corpo para que ele lute contra uma infecção real.

Geralmente, as vacinas são dadas através de injeções. A maior parte das vacinas contém duas partes. A primeira é o antígeno. Esse é o “pedaço” da doença que o seu corpo deve aprender a reconhecer. A segunda parte é o adjuvante.

O adjuvante envia um sinal de perigo para o seu corpo. Ele ajuda o seu sistema imunológico a responder de maneira mais forte contra o antígeno, assim como uma infecção. Isso ajuda a desenvolver a sua imunidade.

Calendário das vacinas

As vacinas são muito importantes para os bebês, mas nem todas são dadas imediatamente após o nascimento. Cada vacina é administrada em certo período e algumas requerem doses múltiplas. Entenda o cronograma de cada vacina:

 

  • Hepatite B:  

Assim que nascer

Uma segunda dose ao 1-2 meses, uma terceira aos 6-18 meses.

  • Rotavírus (RV):

Aos 2 meses.

Uma segunda aos 4 meses, uma terceira aos 6 meses.

  • Difteria, tétano e coqueluche  (DTaP)

Aos 2 meses.

Uma segunda aos 4 meses, uma terceira aos 6 meses, uma quarta aos 16-18 meses, depois, a cada 10 anos.

  • Haemophilus influenzae tipo b (Hib)

Aos 2 meses.

Uma segunda aos 4 meses, uma terceira aos 6 meses, uma quarta entre os 12 a 15 meses.

  • Vacina pneumocócica conjugada 13 valente (PCV13)

Aos 2 meses.

Uma segunda aos 4 meses, uma terceira aos 6 meses, uma quarta entre os 12 a 15 meses

  • Vacina inativada contra poliomielite (IPV)

Aos 2 meses.

Uma segunda em 4 meses, uma terceira aos 6-18 meses, uma quarta aos 4 a 6 anos.

  • Gripe

Aos 6 meses.

Repetir todos os anos.

  • Sarampo, caxumba e rubéola (Tríplice viral)

Aos 12-15 meses.

Uma segunda aos 4 a 6 anos.

  • Varicela

Aos 12-15 meses.

Uma segunda aos 4 a 6 anos.

  • Hepatite A

Aos 12-23 meses.

Uma segunda 6 meses após a primeira dose.

  • Papilomavírus humano (HPV)

Aos 11-12 anos.

Uma série de 2 doses com 6 meses de intervalo.

Vacinas são seguras?

As vacinas são consideradas seguras. Elas são rigorosamente testadas e passam por várias rodadas de estudo, examinação e pesquisa antes de serem usadas com o público geral.

A esmagadora maioria das pesquisas e evidências mostram a segurança e que os efeitos colaterais são raros. Os efeitos colaterais que geralmente ocorrem são suaves.

Na verdade, o maior risco para a maioria dos indivíduos virá se eles optarem por não tomar uma vacina e potencialmente adoecerem após a exposição a uma doença. A doença pode ser muito pior do que os potenciais efeitos colaterais da vacina. A doença pode até mesmo ser fatal.

Prós e contras das vacinas

Quando estiver considerando ser ou não vacinado, esses fatores importantes devem ser considerados:

Prós:

  • As vacinas ajudam a evitar doenças perigosas que já mataram, e podem adoecer ou matar, muitas pessoas.
  • Os pesquisadores investigam minuciosamente cada vacina antes de apresentar os dados ao governo. O governo pode aprovar ou negar a vacina. A esmagadora maioria das pesquisas mostra que as vacinas são seguras.
  • As vacinas não protegem apenas você. Elas protegem as pessoas ao seu redor, especialmente aquelas que não estão bem o suficiente para serem vacinadas.
  • Cada vacina é feita com componentes diferentes, e cada um pode afetá-lo diferentemente. As pessoas que tiveram reações alérgicas a certas vacinas no passado podem experienciar uma reação alérgica novamente.
  • Você ainda pode ficar doente, mesmo se estiver vacinado.
  • Algumas pessoas com o sistema imunológico enfraquecido não podem ser vacinadas ou apenas podem ser vacinadas se estiverem sob a supervisão rigorosa de um profissional da saúde.

Contras:

A maior parte dos efeitos colaterais das vacinas são suaves. Algumas pessoas não sentem nenhum efeito colateral.

Quando os efeitos colaterais ocorrerem (alguns mais raros que os outros), eles podem incluir:

  • Dor, vermelhidão ou inchaço no local da injeção
  • Dor nas articulações perto do local da injeção
  • Fraqueza muscular
  • Febre baixa a alta
  • Transtornos de sono
  • Fadiga
  • Perda de memória
  • Paralisia muscular completa em uma área específica do corpo
  • Perda de audição ou de visão
  • Convulsões

Alguns fatores de risco aumentam a sua probabilidade de experienciar efeitos colaterais por causa da vacina. Esses fatores de risco incluem:

  • Ter um sistema imunológico fraco ou suprimido
  • Estar doente no momento em que você toma uma vacina
  • Ter um histórico familiar ou pessoal de reações à vacina

Efeitos colaterais ou reações graves ou que apresentam risco de vida são raras. De fato, a maior parte das pessoas está em um maior risco de ficar doente por causa da doença se não for vacinado. Esse é o caso da gripe.

Eficácia das vacinas

As vacinas são altamente eficazes, mas nenhuma vacina é 100% eficaz. As taxas de eficácia das vacinas diferem dependendo de cada tipo.

As vacinas da gripe são eficazes ao diminuir o risco de infeção de 40 a 60% em pessoas que tomam a vacina. Isso pode parecer pouco,mas lembre-se de que a vacina contra a gripe é projetada para combinar com a variante da gripe que os cientistas esperam ser mais abundante na próxima temporada de gripe.

Se eles estiverem errados, a vacina pode ser menos eficaz. Se eles estiverem certos, a taxa de proteção pode ser mais alta.

Por outra lado, a vacina de sarampo é 98% eficaz quando as recomendações são seguidas. Na verdade, a maior parte das vacinas da infância são 85 a 95% eficazes se administradas adequadamente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Vacinação nas crianças

As vacinas dadas na infância ajudam a proteger o seu sistema imunológico jovem contra uma série de doenças. Os bebês possuem uma imunidade natural de suas mães nos primeiros meses. Como isso começa a diminuir, as vacinas são dadas para assumir o controle e ajudar a evitar que os bebês adoeçam.

Elas ajudam a proteger as crianças de doenças que os seus amigos, companheiros de brincadeiras, colegas de classe e membros da família podem passar. Por isso que algumas precisam de um reforço quando as crianças estão perto da idade de começar a frequentar a escola. A dose de reforço ajuda a fortalecer as defesas da criança contra a doença.

Quais são os componentes?

As vacinas ensinam o seu sistema imunológico a reconhecer vírus ou bactérias particulares para que ele possa derrotá-los caso o seu corpo se depare com a doença novamente.  

Atualmente, 4 tipos de vacinas são usadas:

  • As vacinas mortas (inativadas) são feitas de um vírus ou bactéria que não está vivo.
  • As vacinas de vírus vivos usam uma versão enfraquecida de um vírus ou bactéria.
  • As vacinas de toxóide vêm de uma substância química ou tóxica nociva que é produzida por bactérias ou vírus. As vacinas de toxóide não o tornam imune ao germe. Ao invés disso, elas tornam você imune aos efeitos nocivos da toxina de um germe. A injeção do tétano é um tipo de vacina toxóide.

Outros componentes são usados para manter as vacinas seguras durante a produção, armazenamento e deslocamento.

Esses componentes também podem ajudar a vacina a funcionar de forma mais eficaz depois de ser administrada. Contudo, esses aditivos representam uma porção muito pequena da vacina.

Esses aditivos incluem:

  • Fluidos (suspensão): Água estéril, solução salina ou outros fluidos mantêm a vacina segura durante a produção, armazenamento e uso.
  • Adjuvantes ou potenciadores: Esses ingredientes ajudam a tornar a vacina mais eficaz quando for injetada. Exemplos incluem géis ou sais de alumínio.
  • Conservantes e estabilizadores: Muitas vacinas são feitas meses, até mesmo anos, antes de serem usadas. Esses ingredientes ajudam a impedir que o vírus, bactéria ou pedaços de proteína se quebrem e se tornem ineficazes. Exemplos de um estabilizador são o glutamato monossódico (MSG) e o timerosal.
  • Antibióticos: Pequenas quantidades de um remédio que combate as bactérias podem ser adicionadas às vacinas para evitar o crescimento de germes durante a produção e o armazenamento.

Cada um desses ingredientes é estudado rigorosamente para garantir a segurança e eficiência.

Lista de vacinações

As vacinas são uma defesa para a vida toda contra doenças. Enquanto as infantis são importantes, você pode tomá-las ou doses de reforço ao longo de toda a sua vida.

Lista de vacinação infantil

Quando seu filho começar o ensino fundamental, ele deverá ter tomado:

  • Vacina contra hepatite B
  • Vacina DTaP (difteria, tétano e coqueluche)
  • Vacina contra o Haemophilus influenzae tipo b (Hib)
  • Vacina pneumocócica conjugada (PCV)
  • Vacina inativada contra o poliovírus (IPV)
  • Vacina contra sarampo, caxumba e rubéola (Tríplice viral)
  • Vacina contra varicela (catapora)
  • Vacina contra rotavírus (RV)
  • Vacina contra a gripe (anualmente após os 6 meses de idade)

Lista de vacinas para crianças que estão no meio da infância

Além das vacinações mais comuns na infância, o seu médico pode recomendar essas vacinas para o seu filho:

  • Vacina contra varicela (catapora)
  • Vacina contra sarampo, caxumba e rubéola (Tríplice viral)
  • Vacina contra hepatite A
  • Vacina contra influenza anual

Lista de vacinas para jovens adultos

Conforme a sua criança cresce, outras vacinas podem ser recomendadas. Essas incluem:

  • Vacina contra o papilomavírus humano (HPV)
  • Vacina meningocócica
  • Reforço da TDaP – difteria, tétano e coqueluche
  • Vacina anual contra a gripe

Lista de vacinas para adultos

Adultos mais velhos devem tomar:

  • Vacinas anuais contra a gripe
  • Vacinas contra pneumonia
  • Doses de reforço contra o tétano

Vacinas na gravidez

Quando você está grávida, as vacinas não protegem apenas você. Elas fornecem imunidade para o seu bebê que está crescendo. Durante esses nove meses, você e seu bebê precisam de proteção contra doenças graves e as vacinas são uma parte fundamental disso.

Recomenda-se que as mulheres que planejam engravidar tomem a tríplice viral antes. Essas doenças, em particular a rubéola, podem levar a sérios problemas, incluindo o aborto espontâneo e defeitos congênitos.

Durante a gravidez, é recomendado que as mulheres tomem uma vacina contra a coqueluche (TDaP) e uma vacina contra a influenza (gripe). Após a gravidez, as mulheres podem tomar vacinas, mesmo enquanto estiverem alimentando.

As vacinas pós-gravidez também ajudam a proteger o seu bebê. Se você é imune a um vírus ou bactéria, é menos provável que você compartilhe-o com seu filho.

Se você não está devidamente vacinada, você e o seu bebê podem ficar doentes.

Estatísticas de vacinas

As vacinas são altamente seguras e eficazes. Elas são usadas ao redor do mundo para evitar doenças e a morte. Essas estatísticas mostram quão bem sucedidas elas têm sido e quão mais bem sucedidas poderiam ser se o acesso a vacinas fosse melhor.

A Organização Mundial da Saúde (OMS)  também estima que as vacinas evitam 2 a 3 milhões de mortes a cada ano. Mais um milhão de mortes poderiam ser evitadas se o acesso a vacinas fosse expandido. Entre 2000 e 2016, a taxa mundial de mortes por sarampo caiu 86%.

Imunidade ativa vs. passiva

Os anticorpos ajudam o organismo a reconhecer os antígenos das doenças. A proteção vinda dos anticorpos pode ser alcançada de duas formas:

A imunização ativa é a imunidade que o seu corpo alcança quando é acionado para produzir seus próprios anticorpos contra antígenos de uma doença à qual você está sendo exposto. Essa imunidade estimula a proteção em longo prazo contra uma doença.

A imunização passiva fornece proteção em curto prazo contra uma doença. Ocorre quando alguém recebe anticorpos ao invés de fazer os seus próprios. A imunidade passiva é transmitida naturalmente de mãe para o filho durante o parto e a amamentação.

Por que as pessoas não são vacinadas?

Nos últimos anos, pessoas opositoras a vacinas desafiaram a sua segurança e eficácia. Contudo, os seus argumentos geralmente foram falhos. Comumente, a vacinação é uma maneira muito segura de prevenir doenças.

Não nenhuma evidência forte que mostra que a vacinação causa autismo. Contudo, há muitas evidências que mostram que as vacinas podem prevenir sérias doenças e a morte.

Nem todas as pessoas evitam as vacinas por causa das suas preocupações acerca da segurança. Alguns apenas não sabem que devem ser vacinadas. Por exemplo, as pessoas devem tomar a vacina contra a gripe todo em todos os invernos.

É importante conversar com o seu médico sobre quais vacinas você precisa. Evitar a vacinação coloca você, e potencialmente outros ao seu redor, em risco de doenças graves. Isso pode levar a visitas caras ao médico e a gastos hospitalares.

E se nós parássemos de vacinar?

Acabar com as vacinas pode ser muito perigoso. Atualmente, em todo o mundo, muitas mortes que podem ser evitadas por vacinas ainda ocorrem. Isso acontece porque as vacinas não estão disponíveis para todos. Uma das missões da Organização Mundial da Saúde (OMS) é aumentar a disponibilidade das vacinas.

A OMS estima que a imunização previne entre 2 a 3 milhões de mortes a cada ano.

Fonte: Health Line

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!