Estou grávida e tive um sangramento. Isso é normal?

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Estou grávida e tive um sangramento. Isso é normal?

Qualquer tipo de sangramento durante a gravidez é aterrorizante, mesmo para a futura mãe que é bem tranquila.

Temos uma boa notícia. Apesar de pequenas perdas de sangue ocorrerem em um terço de todas as gravidezes, muitas vezes não representam uma ameaça para a mãe ou para o bebê. É comum perder um pouco de sangue após a relação sexual, por exemplo, e por razões que não têm nenhuma relação com a gravidez, tais como infecções ou fissuras na parede vaginal.

Mesmo sendo muitas vezes inofensivo, isso pode ser um indicativo de uma variedade de complicações, incluindo aborto espontâneo, gravidez ectópica e placenta prévia; portanto, nunca deve ser ignorado.

Veja aqui algumas razões do sangramento durante a gravidez, como também dicas para comunicar efetivamente seus sintomas ao seu obstetra/ginecologista.

 

Buscar Médicos – Consultas e Exames com Preços Acessíveis

As primeiras 20 semanas

Os médicos estimam que 25 a 40 por cento das mulheres irão ter algum sangramento vaginal durante o primeiro trimestre de sua gravidez e, na maioria das vezes, a gravidez progride normalmente. Algumas possíveis causas:

  • Sangramento de implantação, que ocorre cerca de 4 semanas após a gravidez quando o ovo fertilizado se prende à sua parede uterina.
  • Mudanças hormonais
  • Relações sexuais
  • Infecções
  • Exame interno feito pelo seu obstetra ou parteira.

No entanto, às vezes, sangrar durante a primeira metade de sua gravidez pode ser um sinal de uma condição mais séria, como:

  • Hemorragia subcoriônica, que é um sangramento ao redor da placenta. Apesar de ser possível continuar com a gravidez normal após o acontecimento desse tipo de sangramento, o diagnóstico e tratamento imediatos são vitais. A maioria das hemorragias subcoriônicas se resolvem, mas colocam a mulher em um maior risco para outras complicações, como o trabalho de parto prematuro.
  • Gravidez química, que ocorre quando um óvulo é fertilizado, mas nunca totalmente implantado no útero.
  • Aborto espontâneo (ameaçado ou iminente), que é a perda espontânea da gravidez nas primeiras 20 semanas. Muitas vezes, o sangramento ou as manchas de sangue, que ocorrem durante o aborto espontâneo, serão acompanhados por outros sintomas, tais como cólicas ou dores abdominais.
  • Gravidez ectópica, que ocorre quando o óvulo fertilizado é implantado em algum lugar menos no útero, na maioria das vezes na trompa de falópio (trompa uterina). Às vezes chamada de gravidez tubária, uma gravidez ectópica não pode progredir normalmente e pode ser fatal para a mãe se não for diagnosticada.
  • Gravidez molar, uma gravidez não viável caracterizada por um crescimento anormal da placenta e, geralmente, um feto anormal.

As últimas 20 semanas

Apesar do risco de aborto espontâneo (conhecido como natimorto após as primeiras 20 semanas) diminuir muito após o primeiro trimestre, e muitas das primeiras complicações não serem mais um fator (como gravidezes ectópicas e molares), o sangramento durante a segunda metade da gravidez deve ser levado muito a sério, especialmente se for contínuo. Causas para sangramento na segunda metade da gravidez incluem:

  • Relações sexuais
  • Verificações cervicais, especialmente no final do terceiro trimestre quando se tornam mais frequentes
  • Placenta prévia, que é quando a placenta cobre o colo do útero, parcialmente ou completamente
  • O descolamento da placenta, em que ela se afasta da parede do útero, podendo causar sangramento vaginal grave e ameaçando a vida tanto da mãe quanto do bebê. Essa é a causa mais comum de sangramento sério no final da gravidez.
  • Parto prematuro, no qual o sangramento vaginal é acompanhado por cólicas ou contrações, diarréia, pressão pélvica ou dor nas costas antes das 37 semanas; pode ter graves repercussões para o bebê se não forem administradas. Após 37 semanas, esses sintomas podem ser um começo do trabalho de parto normal.

 

Buscar Médicos – Consultas e Exames com Preços Acessíveis

Conclusão

Não importa quando ocorra, qualquer sangramento durante a gravidez merece um telefonema para o seu médico, mesmo que para apenas confirmar que nada está mal. Esteja preparada para responder questões detalhadas sobre a cor, quantidade e horário do sangue a fim de ajudar melhor o seu médico a determinar a possível causa.

Fonte: Parents

Se precisar de consultas com ginecologista, conte conosco!