Mama densa: respostas a perguntas comuns

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Mama densa: respostas a perguntas comuns

O que significa ter mama densa?

As mamas contêm tecido glandular, conjuntivo e gorduroso. A densidade da mama é um termo que descreve a quantidade desses tipos de tecido mamário, visto na mamografia. Ter mama densa, significa que você tem muito tecido glandular e fibroso e quantidades baixas de tecido mamário gorduroso.

 

Quais são os sintomas das mamas densas?

Apenas uma mamografia pode mostrar se a mulher tem mamas densas. O tecido mamário denso não pode ser sentido em um exame de mama clínico ou em um auto exame. Por causa disso, as mamas densas são algumas vezes referidas como seios mamograficamente densos.

 

As mamas densas são muito comuns?

Cerca de metade das mulheres com 40 anos ou mais que fazem mamografia descobre que tem mamas densas. A densidade mamária é frequentemente herdada, mas outros fatores também podem influenciar. Fatores associados a uma baixa densidade mamária incluem envelhecimento, ter filhos e tomar taximofeno. Já os fatores associados a uma maior densidade mamária incluem terapia de reposição hormonal pós-menopausa e um baixo índice de massa corporal.

 

Como a densidade mamária é categorizada?

Os médicos usam o Breast Imaging Reporting and Data System, chamado BI-RADS, para agrupar diferentes tipos de densidade mamária. Este sistema, desenvolvido pela  American College of RadiologyExit Disclaimer, ajuda os médicos a interpretar e relatar os resultados da mamografia. Os médicos que revisam mamografias são chamados de radiologistas. BI-RADS classifica a densidade da mama em quatro categorias:

(A) tecido mamário quase inteiramente gorduroso, encontrado em cerca de 10% das mulheres

(B) Áreas dispersas de tecido glandular denso e tecido conjuntivo fibroso (tecido mamário fibroglandular disperso) encontrado em cerca de 40% das mulheres

(C) Tecido mamário heterogeneamente denso com muitas áreas de tecido glandular e tecido conjuntivo fibroso, encontrado em cerca de 40% das mulheres

(D) Tecido mamário extremamente denso, encontrado em cerca de 10% das mulheres

Se falarem que você tem mamas densas, significa que você tem tecido mamário heterogeneamente denso (C) ou extremamente denso (D).

 

Ter tecido mamário denso afeta a mamografia da mulher?

O tecido mamário denso aparece branco na mamografia, assim como algumas mudanças mamárias anormais, tais como calcificações e tumores. Isso pode fazer com que a mamografia seja mais difícil de interpretar e seja mais difícil encontrar câncer de mama nas mulheres com mamas densas. As mulheres com mamas densas podem ser chamadas para fazer mais exames de acompanhamento do que as mulheres com seios gordurosos.

 

As mamas densas são um fator de risco para câncer de mama?

Sim, mulheres com mamas densas possuem um maior risco de câncer de mama do que as mulheres com mamas gordurosas, e o risco aumenta conforme a densidade da mama aumenta. Quando o médico lê a mamografia, ele consegue separar esse risco aumentado do efeito das mamas densas.

 

As pacientes com câncer de mama e mamas densas são mais propensas a morrer de câncer de mama?

Não. Pesquisas descobriram que pacientes com câncer de mama que têm mamas densas não são mais propensas a morrer de câncer de mama do que pacientes que têm câncer de mama e mamas gordurosas, após contabilizar outros fatores de saúde e características do tumor.

 

Como tratar a mama densa?

Atualmente, não há recomendações para reduzir a densidade mamária, e não há evidências claras de que passar a ter uma mama menos densa reduza o risco de câncer de mama. Converse com um médico sobre se você tem a mama densa e como isso pode afetar o seu regime de rastreamento do câncer de mama.

Em alguns lugares, os médicos que fazem a mamografia devem informar à mulher se ela tem ou não mamas densas. Muitos lugares recomendam exames com imagem adicionais às mulheres com mamas densas.

Entretanto, a importância de exames suplementares, adicionais ou testes de rastreio, como ultrassom ou ressonância magnética ainda não é clara, de acordo com a Final Recommendation Statement on Breast Cancer Screening. Ensaios clínicos em desenvolvimento estão avaliando o papel de testes de rastreio suplementares em mulheres com mamas densas.

Pesquisas recentes sugeriram que, para mulheres com mamas densas, uma estratégia de rastreamento que também leve em consideração os fatores de risco e fatores de proteção da mulher pode ser a melhor forma de indicar se uma mulher desenvolverá câncer de mama após uma mamografia normal e antes da próxima mamografia.

E enquanto você conversa com o seu médico sobre os seus riscos pessoais de câncer de mama, mantenha em mente:

* Fatores de risco que aumentam a sua chance de câncer de mama

* Fatores de proteção que diminuem sua chance de câncer de mama

 

Talvez ajude fazer essas perguntas ao seu médico, para contextualizar o seu risco de câncer de mama:

* Quais são os resultados da minha mamografia recente?

* Outros exames complementares ou testes diagnósticos são recomendados?

* Quais são os meus fatores de risco pessoais para o câncer de mama?  E os fatores de proteção para câncer de mama?

* Que passos posso tomar para reduzir meu risco de câncer de mama?

 

O que os pesquisadores estão esperando aprender sobre a relação entre densidade mamária e câncer de mama?

Algumas das perguntas importantes incluem:

* Os exames de imagem, como a mamografia 3D (tomossíntese mamária), a ressonância magnética e a ultrassonografia ajudam a fornecer uma imagem mais clara da densidade mamária?

* Existem certos padrões ou áreas de tecido mamário denso que são particularmente “arriscados”?

* Por que algumas mulheres com seios densos desenvolvem câncer de mama, enquanto outras não? Os biomarcadores, sendo identificados, podem ajudar a prever se o câncer de mama se desenvolverá em uma mulher com seios densos?

* As alterações na mama densa ao longo do tempo estão associadas a alterações no risco de câncer de mama?

* As mulheres podem reduzir a densidade da mama e, potencialmente, o risco de câncer de mama, tomando medicamentos ou aplicando agentes tópicos diretamente no seio?

 

Fonte: Cancer.gov e radiologyinfo