Meu Bebê Caiu da Cama, o Que Eu Faço?

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Meu Bebê Caiu da Cama, o Que Eu Faço?

Quando um bebê cai da cama

Embora o seu bebê possa ser pequeno, braços que vivem agitados e pernas que ficam chutando podem trazer vários riscos, incluindo o da queda. Então, você pode pensar que está se afastando do seu pequenino por apenas um momento, mas deixar um bebê desacompanhado pode aumentar o risco de queda.

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

Cair da cama de um adulto pode prejudicar o seu bebê de várias formas, sendo uma delas o impacto no chão. O seu bebê também pode cair em itens como roupas, roupa de cama macia e plásticos. Enquanto a prevenção é a melhor maneira de evitar essas situações, acidentes podem ocorrer e acontecem.

Se o seu bebê cair da cama, há várias coisas que você deve verificar para garantir que ele receba os cuidados imediatos e apropriados.

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

O que fazer em primeiro lugar

É possível que a queda faça o seu bebê perder a consciência.

Ele pode parecer zonzo ou adormecido e geralmente irá retomar a consciência rapidamente. Independentemente, isso é uma emergência médica. Se parecer que o seu bebê tem uma lesão grave na cabeça, como sinais visíveis de sangramento ou perda de consciência, ligue para a emergência imediatamente.

Não mova o seu bebê neste caso, a menos que ele esteja em risco imediato de mais ferimentos. Entretanto, se o seu filho estiver vomitando ou se parecer que está tendo uma convulsão, vire-o de lado, mantendo o pescoço reto. Se você vir um sangramento, faça pressão gentilmente com uma gaze, uma toalha limpa ou um pano até a ajuda chegar.

Se o seu bebê não aparentar estar gravemente ferido, pegue-o gentilmente e conforte-o.  Ele provavelmente estará assustado e alarmado. Enquanto estiver confortando-o, procure por sinais visíveis de machucados na cabeça. Você deve ligar para o seu médico após qualquer queda da cama se o seu bebê tiver menos de um ano de idade.

Sinais de que você precisa ir ao pronto-socorro

Mesmo se o seu bebê não tiver perdido a consciência ou não parecer machucado gravemente, ainda há sinais que podem exigir uma viagem para a emergência.  Esses incluem:

– Estar inconsolável
– Protuberância da moleira na frente da cabeça
– Esfregar continuamente a cabeça
– Sonolência excessiva
– Ter sangue ou líquido amarelo vindo do nariz ou das orelhas
– Grito estridente
– Perda de equilíbrio
– Coordenação deficiente
– Pupilas que não estão do mesmo tamanho
– Sensibilidade à luz ou ao ruído
– Vômito

Se você notar essas mudanças, procure uma emergência o mais rápido possível.

Se você notar qualquer sintoma que indique que o seu bebê está agindo diferente- ou se apenas sentir que algo não está certo- vá a uma emergência. A frase “melhor prevenir do que remediar” é perfeita para essa situação.

Sintomas de uma concussão

Mesmo se o seu bebê não mostrar sinais de lesões imediatos ou preocupantes, é possível que ele tenha uma concussão. Concussão é uma lesão cerebral que pode afetar o pensamento do seu bebê.  Tendo em vista que o seu bebê não consegue falar o que está sentindo, reconhecer os sinais da concussão pode ser difícil.

A primeira coisa que você tem que notar é uma regressão de habilidades de desenvolvimento. Por exemplo, um bebê de 6 meses pode não balbuciar. Outras mudanças que precisam ser notadas incluem:

– Estar agitado enquanto come
– Mudanças nos padrões de sono
– Mais choros em uma posição particular do que em outras
– Mais choros do que o habitual
– Estar cada vez mais irritável

Uma concussão não é a única lesão que pode ocorrer após a queda. Lesões internas podem incluir:

– Vasos sanguíneos destruídos
– Ossos craniais quebrados
– Danos ao cérebro

O que fazer após uma queda

Após qualquer queda, você pode antecipar que haverá sintomas.  O seu bebê provavelmente irá agir como se estivesse com sono. Você deve perguntar ao seu médico se precisa acordar o seu filho em intervalos regulares para checar se há sintomas de concussão.  O seu bebê pode ficar mais irritado, prestar atenção por menos tempo ou vomitar. Dor de cabeça e pescoço também pode ocorrer.

Entretanto, se o seu pequenino estiver respirando e agindo normalmente, deixá-lo descansar pode ser benéfico. Se for difícil acordá-lo ou não conseguir deixá-lo totalmente acordado em um intervalo normal, procure a opinião de um médico.

Você pode perguntar ao médico do seu filho se deve dar alguma medicação para a dor e em qual dose. O médico provavelmente também aconselhará a evitar brincadeiras muito agitadas ou vigorosas para reduzir o risco de lesões adicionais por pelo menos um período de 24 horas. Isso inclui evitar andar de brinquedos ou escalar. Os jogos/brincadeiras permitidos e supervisionados por adultos podem incluir:

– Blocos
– Quebra-cabeça
– Passeios de carrinho
– Ouvir uma história

Se o seu bebê já estiver na creche, informe ao cuidador sobre o ferimento e a necessidade de uma supervisão mais próxima.

Evitando uma lesão

Você pode usar esse acidente como uma oportunidade para aumentar os seus esforços de prevenção de lesões.

Bebês não devem ficar em camas de adulto sem supervisão.  Além do risco de quedas, os bebês podem ficar presos entre a cama e a parede ou entre a cama e outro objeto. As camas de adultos geralmente não atendem aos critérios de segurança que um berço costuma ter, como um colchão justo e lençol de baixo.

Para evitar quedas, mantenha sempre pelo menos uma mão sobre o bebê em qualquer superfície, como um trocador ou uma cama de adulto. Não coloque seu bebê em uma cadeira para automóvel ou cadeira de descanso sobre uma mesa ou outra superfície elevada, mesmo que esteja amarrada.

Para levar

Agir rapidamente e vigiar o seu bebê podem diminuir o risco de que uma queda resulte em mais lesões. Talvez você precise continuar vigiando o seu bebê por um mês para garantir que os efeitos de uma lesão cerebral não tenham ocorrido.  

Engajar-se na prevenção de quedas no futuro pode ajudar a garantir que você não tenha que passar pela preocupação e pelo pânico de outra queda da cama.

Fonte: Healhline

Precisa de Consultas, Exames e Medicamentos? Conheça o Cartão Doutor Já!