Mudanças no corpo das mulheres grávidas

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Mudanças no corpo das mulheres grávidas

Mulheres grávidas e o corpo

A gravidez provoca várias mudanças no corpo. As mulheres grávidas podem sofrer mudanças esperadas e comuns, como inchaço e retenção de líquidos, a menos familiares, por exemplo, mudanças na visão.

Mudanças hormonais durante a gravidez

As mudanças hormonais e psicológicas que acompanham a gravidez são únicas.

As mulheres grávidas têm aumento mais repentino e drástico nos níveis de estrogênio e progesterona. Além disso, experienciam mudanças na quantidade e funcionamento de vários outros hormônios. Essas mudanças não afetam apenas o humor. Como também:

  • Ajudam significativamente no desenvolvimento do feto
  • Alteram o impacto físico dos exercícios e atividades físicas no corpo

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

Mudanças no estrogênio e progesterona

O estrogênio e a progesterona são os principais hormônios da gravidez. A mulher produz mais estrogênio durante uma gravidez do que quando não está grávida. O aumento dos níveis de estrogênio durante a gravidez permite que o útero e a placenta:

  • Melhore a vascularização (a formação de vasos sanguíneos)
  • Transfira nutrientes
  • Apoie o bebê em desenvolvimento

Além disso, acredita-se que o estrogênio desempenhe um papel importante no desenvolvimento e maturação do feto.

Os níveis de estrogênio aumentam constantemente durante a gravidez e alcançam o seu pico no terceiro trimestre. O rápido aumento nos níveis de estrogênio durante o primeiro trimestre pode causar parte da náusea associada à gravidez. Durante o segundo trimestre, esse aumento desempenha um papel principal no desenvolvimento do duto de leite que aumenta os seios.

Os níveis de progesterona também são incrivelmente altos durante a gravidez. As mudanças na progesterona causam um relaxamento ou afrouxamento de ligamentos e articulações por todo o corpo. Além disso, os altos níveis de progesterona fazem com que as estruturas internas aumentem de tamanho, como o útero.

O útero liga os rins à bexiga materna. A progesterona também é importante na transformação do útero do tamanho de uma pequena pêra em um que acomode um bebê.

Hormônios da gravidez e lesões devido a exercícios

Enquanto esses hormônios são absolutamente essenciais para uma gravidez bem sucedida, eles também pode tornar os exercícios mais difíceis.

A postura de uma mulher grávida muda. As suas mamas ficam maiores. Seu abdome se transforma de plano ou côncavo a muito convexo, aumentando a curvatura de suas costas. O efeito combinado muda o centro de gravidade para a frente e pode levar a mudanças em seu senso de equilíbrio.

Ganho de peso e atividades físicas

O ganho de peso nas mulheres grávidas aumenta a sobrecarga no corpo causada por qualquer atividade física. Esse peso adicional e a gravidade diminuem a circulação sanguínea, particularmente nos membros inferiores. Como resultado disso, as mulheres grávidas retêm fluidos e experienciam inchaço no rosto e membros. Este peso da água adiciona outra limitação ao exercício.

O aumento na retenção de fluidos é responsável por uma quantidade significativa de peso que as mulheres experienciam durante a gravidez. Dicas para aliviar o inchaço incluem:

  • Descanso
  • Evitar ficar em pé por longos períodos
  • Evitar cafeína e sódio
  • Aumentar o potássio dietético

O ganho de peso, geralmente, é o principal motivo do corpo não conseguir tolerar níveis de exercícios do pré-gravidez. A tensão do ligamento redondo, o aumento do tamanho do útero e a instabilidade pélvica da frouxidão dos ligamentos podem levar a um aumento do desconforto durante o exercício.

Mudanças sensoriais

A gravidez pode alterar drasticamente como uma mulher experiencia o mundo através da visão, paladar e olfato.

Mudanças na visão

Algumas mulheres experienciam mudanças na visão durante a gravidez, caracterizadas por um aumento da miopia. Os pesquisadores não conhecem os mecanismos biológicos precisos por trás dessas mudanças na visão. Após o parto, a maior parte das mulheres recupera a visão que tinha antes de ficar grávida.

Mudanças comuns durante a gravidez incluem indefinição e desconforto com lentes de contato. Isso acontece, porque nesse período, as mulheres grávidas têm um aumento da pressão intraocular.

Mudanças no paladar e olfato

A maioria das mulheres tem mudanças no seu paladar durante a gravidez. Elas geralmente preferem alimentos mais salgados e alimentos mais doces do que as mulheres não grávidas. A disgeusia, uma diminuição na capacidade de saborear, é mais comumente experimentada durante o primeiro trimestre da gravidez.

Algumas mulheres também sentem um gosto metálico na boca durante a gravidez. Isso pode agravar a náusea e pode indicar um desequilíbrio de nutrientes.

Algumas vezes, as mulheres grávidas também relatam mudanças no olfato. Muitas descrevem uma consciência e sensibilidade aumentadas para uma variedade de odores.

Mudanças cervicais e nos seios

As mudanças hormonais, que começam no primeiro trimestre, levam a uma série de mudanças fisiológicas em todo o corpo. Essas mudanças ajudam a preparar o corpo da mãe para a gravidez, o nascimento do bebê e amamentação.

Mudanças nos seios

Os seios das mulheres grávidas passam por mudanças significativas durante a gravidez já que os seus corpos se preparam para fornecer leite para o recém-nascido, como o aspecto das aréolas mais escuras. Conforme os seios aumentam, as mulheres podem ter uma maior sensibilidade e notar que as veias estão mais escuras e que os mamilos se destacam mais do que antes da gravidez. Algumas mulheres desenvolvem estrias nos seios, especialmente se eles passarem por um rápido crescimento.

Mudanças cervicais

O cérvix ou a entrada do útero (colo do útero), passa por uma série de mudanças durante a gravidez e o parto. Em muitas mulheres, o tecido do cérvix engrossa e fica firme e glandular. Até algumas semanas antes do parto, o cérvix pode amolecer a dilatar suavemente devido a pressão do bebê em crescimento.

Antes do parto, o colo do útero se dilata significativamente, suaviza e se dilui, permitindo que o bebê passe pelo canal de parto.

Mudanças no cabelo, pele e unhas

Muitas mulheres passarão por mudanças na aparência da sua pele durante a gravidez. Apesar da maior parte ser temporária, como as estrias que podem resultar em mudanças permanentes. Além disso, essas mudanças na pele podem acontecer novamente em futuras gravidez ou até mesmo com contraceptivos hormonais. Outras mudanças na aparência:

  • Queda ou perda de cabelo
  • Crescimento de pelos no rosto, braços, pernas ou costas
  • Crescimento mais rápido das unhas

Comer bem e tomar as vitaminas pré-natais aumenta os hormônios de crescimento da gravidez, evitando algumas das mudanças citadas. Embora algumas pessoas possam achar a mudança desejável, muitas podem notar aumento da fragilidade, quebra, sulcos ou queratose das unhas.

Mudanças no sistema circulatório

  • Arfar e bufar enquanto sobe escadas
  • Se sentir tonta depois de ficar em pé rapidamente
  • Mudanças na pressão arterial

Por causa da rápida expansão dos vasos sanguíneos e o aumento do estresse no coração e pulmões, as mulheres grávidas produzem mais sangue e devem ter mais cuidado ao praticar exercícios do que as mulheres não grávidas.

Pressão arterial e exercícios

Os hormônios da gravidez podem afetar de repente o ritmo nos vasos sanguíneos. Uma perda súbita no ritmo pode resultar na sensação de tontura e talvez até em uma breve perda de consciência. Isso ocorre porque a perda de pressão envia menos sangue para o cérebro e para o sistema nervoso central.

Além disso, exercícios vigorosos podem levar a uma diminuição do fluxo sanguíneo para o útero, já que o sangue é dirigido aos músculos. Há evidências que sugerem que as mulheres que fazem exercícios leves têm um melhor abastecimento de sangue para a placenta quando estão descansando. Beneficiando a placenta, crescimento do bebê e ganho de peso.

Tontura e desmaio

A tontura ao deitar de costas é mais comum após 24 semanas. Contudo, isso pode ocorrer mais cedo em gravidez multi-fetais ou em condições que aumentam o líquido amniótico.  

Deitar de costas comprime a grande veia sanguínea que vai da parte inferior do corpo para o coração, também conhecida como a veia cava. Isso diminui o fluxo sanguíneo do e para o coração, levando a uma queda súbita e drástica da pressão arterial. Isso pode causar tontura ou perda de consciência.

Após o primeiro trimestre, não é recomendado fazer exercícios que envolvem deitar de costas devido ao impacto gerado pela compressão da veia sanguínea. Deitar virado para o lado esquerdo pode ajudar a aliviar a tontura e é uma posição saudável para o sono.

As mulheres que sentirem qualquer uma dessas condições, particularmente durante os exercícios, devem consultar os seus médicos.

Mudanças respiratórias e metabólicas

As mulheres grávidas vivem um aumento na quantidade de oxigênio que transportam pelo sangue. Isso ocorre por causa do aumento da demanda por sangue e da dilatação dos vasos sanguíneos. Esse crescimento força alguns aumentos nas taxas metabólicas durante a gravidez, o que requer que as mulheres aumentem o seu consumo de energia e tenham cautela durante os períodos de esforço físico.

Mudanças na temperatura corporal

Um aumento na temperatura corporal basal é uma das primeiras dicas de que você está grávida. Uma temperatura corporal levemente elevada será mantida durante toda a duração da gravidez. As mulheres também precisam de mais água durante a gravidez. As mulheres grávidas podem estar em um maior risco de hipertermia e desidratação se não tiverem cautela em relação aos exercícios e hidratação.

Hipertermia- superaquecimento durante a gravidez

O estresse térmico durante o exercício é um motivo de preocupação por duas razões. Primeiro, um aumento na temperatura corporal da mãe, como na hipertermia, pode ser prejudicial para o desenvolvimento do bebê. Em segundo lugar, perda de água da mãe, como na desidratação, pode diminuir a quantidade de sangue disponível para o feto. Isso pode levar a um maior risco de contrações prematuras.

Foi mostrado que as mulheres grávidas não têm um aumento tão significativo da temperatura corporal durante os exercícios como as mulheres não grávidas. Contudo, as mulheres grávidas devem evitar fazer exercícios em roupas não respiráveis e em condições muito quentes ou úmidas, já que o impacto da hipertermia pode ser grave. Aqui vão algumas dicas que podem ajudar a reduzir o risco de superaquecimento durante o exercício:

  • Usar ventiladores durante atividades internas
  • Se exercitar na piscina
  • Usar roupas leves e soltas

Desidratação

A maior parte das mulheres que se exercita por 20 a 30 minutos ou que se exercita em temperaturas quentes e climas úmidos irá suar. Nas mulheres grávidas, a perda de fluidos corporais através do suor pode diminuir o fluxo de sangue para o útero, músculos e alguns órgãos. O desenvolvimento do feto precisa de um fornecimento constante de oxigênio e nutrientes carregados pelo sangue, então, podem ocorrer danos devido à falta de fluidos.

Se você está autorizado a fazer exercícios durante a gravidez, não deixe de seguir o bom senso. Evite o calor excessivo e a umidade e se reidrate, mesmo quando não estiver com sede.

Fonte: Health Line

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!