Novos estudos podem salvar a visão de quem é cego

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Novos estudos podem salvar a visão de quem é cego

Cenário

Ao redor do mundo, aproximadamente 40 milhões de pessoas são cegas. Muito deficiente visual (cego) tem essa condição após anos de degeneração lenta e progressiva.

 

1-  O olho biônico

Por isso, foi desenvolvido um novo dispositivo protético que poderia ajudar na restauração da visão do cego. O estudo foi feito por pesquisadores da Universidade de Pisa, que queriam testar a capacidade do cérebro de processar entradas visuais artificiais .O ‘olho biônico’ detecta sinais visuais e transmite tudo para o cérebro. Após o treinamento, o cérebros dos pacientes pode aprender a ver novamente. 

 

Não tem plano de saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já

 

Passo a passo

O estudo teve foco em 7 pacientes com uma doença que causa aos poucos a cegueira total. 

Com o dispositivo de “chip” implantado, os pacientes do estudo aprenderam a reconhecer estímulos visuais incomuns, como flashes brilhantes. Essa habilidade levou ao aumento da atividade cerebral.

Mas para aumentar a atividade cerebral, os pacientes precisaram de um treino, durante um temo. À medida que o cego praticava, mais o seu cérebro respondia aos estímulos visuais com o chip.

Mesmo após anos, quem é cego ainda tem uma certa “plasticidade” no cérebro. Essa descoberta é muito promissora para desenvolvimentos futuros de novos dispositivos protéticos.

 

Cego botão cartão Doutor Já

Uma Alternativa aos Planos de Saúde

 

 

2- Córneas impressas

O segundo foi a criação de córneas impressas. As primeiras córneas humanas foram impressas em 3D por cientistas da Universidade de Newcastle. Isso significa que a técnica pode ser usada no futuro para garantir córneas para todos.

Usando uma simples bio-impressora 3D de baixo custo,  os pesquisadores usaram uma bio-tinta. A impressão da córnea humana demorou menos de 10 minutos.

Bio-tinta única

Dr. Steve Swioklo, professor de Engenharia de Tecidos na Universidade de Newcastle, liderou o trabalho. Ele disse disse: “Muitas equipes em todo o mundo têm tentado criar a bio-tinta ideal.”

Os cientistas do Instituto de Medicina Genética da Universidade de Newcastle também falaram que poderiam fazer uma córnea de acordo com a necessidade de cada paciente. Ao examinar os olhos do paciente, eles usam os dados para imprimir rapidamente uma córnea igual, em tamanho e forma.

Quase lá

Os pesquisadores afirmam que o estudo tem potencial para combater a escassez mundial. A versão, porém, ainda precisa de mais testes. 

Neil Ebenezer, diretor de pesquisa, política e inovação da Fight for Sight, disse: “Esta pesquisa destaca o progresso significativo nesta área. Este estudo é importante para diminuir a necessidade de córneas doadas. Isso ajudaria muito os pacientes que vivem com perda de visão.” Ele alerta, porém, que isso ainda está a anos de acontecer e pede para continuarem doando tecido da córnea para transplante. “Um transplante de córnea pode dar a alguém de volta o dom da visão.”, diz.

Fonte: Daily Mail e New Castle University

Se precisar de consultas com Oftalmologistas, conte com a gente!