O Que Acontece Com o Seu Corpo Após Beber Álcool?

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
O Que Acontece Com o Seu Corpo Após Beber Álcool?

Os efeitos do álcool no seu corpo

Uma bebedeira tem muitos efeitos no seu corpo, tanto em curto quanto em longo prazo.
Após uma noite de muitos copos de cerveja, a ressaca da manhã seguinte pode, na verdade, ser a menor das suas preocupações.

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

 

Pesquisas mostram que apenas uma bebedeira pode ter sérios efeitos em todas as partes do seu corpo, não apenas no seu cérebro.  Prejuízos em longo prazo devido ao consumo de álcool em excesso não são limitados a alcoólatras.  Pessoas que bebem em excesso frequentemente também podem desenvolver problemas de saúde.

Beber em excesso é definido como um homem consumir cinco ou mais drinks dentro de 2 horas. Para as mulheres, é definido como consumir quatro ou mais bebidas dentro de 2 horas.

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!


Dá uma olhada em como todo esse álcool está afetando a saúde da população em curto e em longo prazo.

 

Efeitos em curto prazo

Você começará a sentir os efeitos do álcool dentro de 5 a 10 minutos após beber.

Cerca de 90% do álcool no seu sangue é eliminado pelo fígado. O resto é eliminado pelos pulmões, rins ou através do suor.

Para uma pessoa com tamanho médio, o fígado só pode eliminar uma bebida (padrão) por hora.  Se você beber mais álcool do que o seu fígado consegue processar, o seu teor de álcool no sangue (TAS) aumentará.  Assim como os efeitos no seu corpo.

Outros fatores também afetam o seu TAS, como, quão rápido você bebe, se você comeu recentemente e seu tipo de corpo. Até mesmo a sua idade, sexo e etnia desempenham um papel.

Uma bebedeira tem muitos efeitos no seu corpo. Mas, muitas vezes, as pessoas ignoram o fato de ser uma atividade de risco.  Beber em excesso pode levar à morte por intoxicação alcoólica. Ou pode afetar o reflexo faríngeo, o que coloca uma pessoa que desmaiou em risco de engasgar com o próprio vômito.

O excesso de álcool também afeta as suas ações, o que pode aumentar o seu risco de lesões e morte devido a acidentes automobilísticos, afogamento, asfixia e outros acidentes.  Na verdade, quando está sob o efeito do álcool, você não apenas fica com uma coordenação ruim, mas você também tem um mau julgamento e um funcionamento executivo muito ruim.

Álcool também é encontrado no sangue de pessoas que se machucam ou tentam se suicidar.  Uma única noite de bebedeira tem uma série de efeitos, especialmente em maiores quantidades.

Quando se fala de inflação de pâncreas, estômago ou fígado, esses efeitos podem ser agudos.  Apenas um episódio de bebedeira, ou muitos em um curto espaço de tempo, pode causar uma inflamação aguda ou irritação desses órgãos.

Além de aumentar o risco de lesões, beber em excesso compromete a habilidade do corpo de se curar desses machucados, ou seja, se uma pessoa estiver bêbada e se machucar, ela terá mais complicações quando o álcool estiver presente no corpo, em comparação com uma pessoa que talvez não tenha sido exposta ao álcool.

Beber em excesso também pode afetar o(a) seu (sua):

– Coração.

Beber em excesso pode causar um aumento da pressão arterial, batimento cardíaco irregular, ou morte súbita por insuficiência cardíaca.

– Rins.

O álcool é um diurético, o que faz com que os rins produzam mais urina. Isso, isoladamente ou com vômitos, pode levar à desidratação e perigosos baixos níveis de sódio, potássio e outros minerais e sais.

– Pulmões.

O álcool inibe o reflexo faríngeo, o que pode levar à entrada de vômito, saliva e outras substâncias no pulmão.  Isso pode causar inflamação ou infecção dos pulmões.

– Pâncreas.

Um único episódio de uso excessivo de álcool pode levar a (perigosos) níveis baixos de glicose no sangue- hipoglicemia.

– Saúde sexual.

 Ficar bêbado aumenta as chances de sexo sem proteção- o que pode levar a doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) ou gravidez não planejada.

Efeitos em longo prazo

Após uma única noite de bebedeira, alguns dos efeitos em curto prazo desaparecerão. Muitos, como lesões ou DSTs, podem ficar com você por anos.

Não há muitas pesquisas sobre quanto tempo dura os efeitos de uma bebedeira, ou se o seu corpo pode se recuperar completamente.  Entretanto, se houver uma maior frequência de consumo excessivo de álcool, isso, mais provavelmente, resultará em danos em longo prazo.

Um estudo recente descobriu que 21 bebedeiras em 7 semanas foi o suficiente para causar o estágio inicial da doença hepática em ratos.

Mais pesquisas precisam ser feitas em pessoas, mas os efeitos em longo prazo do uso excessivo de álcool já são bem conhecidos.

Em longo prazo, o álcool aumenta o risco de muitos cânceres, incluindo o de fígado, boca, garganta, laringe, esôfago, cólon e reto.  Mesmo apenas uns drinks por semana estão relacionados a um aumento do risco de câncer de mama nas mulheres.

O uso prolongado e em excesso de álcool pode levar à doença hepática alcoólica, que inclui inflamação do fígado e cirrose.  Beber em excesso também é ruim para o sistema cardiovascular, o que leva a um aumento no risco de ataque cardíaco, pressão arterial alta e batimento cardíaco irregular.

 

O uso excessivo de álcool em longo prazo pode também afetar o(a) seu (sua):

– Sistema sanguíneo e imunológico.

O uso crônico de álcool pode levar à anemia, plaquetas baixas e um sistema imunológico suprimido.

– Ossos e músculos.

O uso de álcool em longo prazo pode interferir na absorção de cálcio e na formação óssea. Isso pode levar à osteoporose.

– Sistema cerebral e nervoso.

O uso excessivo de álcool aumenta o risco de derrame e pode levar à demência ou equilíbrio e coordenação prejudicados.

– Saúde mental.

Além da dependência e vício, alcoólatras estão em um maior risco de depressão, ansiedade e psicose.

– Saúde sexual.

O uso excessivo de álcool pode reduzir a fertilidade em homens e mulheres e diminuir o desejo sexual dos homens. Beber enquanto estiver grávida também afeta o feto.

– Intestinos.

O consumo excessivo de álcool pode interferir na absorção de vitaminas e outros nutrientes no intestino. Isso pode levar à subnutrição.

– Diminuir a frequência ou a quantidade do consumo de álcool pode reduzir esses riscos.

Mas até mesmo o consumo de álcool de baixo risco não significa que não haja nenhum risco.

É recomendado que os homens não consumam mais do que 4 drinks por dia e não mais de 14 por semana.  As mulheres não deveriam consumir mais do que 3 drinks por dia e menos de 7 por semana.

No entanto, a redução do impacto do consumo excessivo de álcool na sociedade precisará reconhecer o alcance do problema e abordá-lo com impostos sobre o álcool, orientações de propagandas de álcool e restrições razoáveis à disponibilidade de álcool.

Fonte: Healthline

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!