Parar ou não de tomar a pílula anticoncepcional?

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Parar ou não de tomar a pílula anticoncepcional?

Tão conveniente e confiável como ela é, o controle de natalidade hormonal não está isento de riscos. Em um novo estudo de 1.8 milhão de mulheres dinamarquesas publicado na New England Journal of Medicine, pesquisadores descobriram que o uso atual ou recente de contraceptivos hormonais aumentou as chances de câncer de mama de uma mulher em 20%.

Isso soa alarmante, mas você deve jogar fora a sua cartela de pílula por causa disso? “Isso certamente não é nada que condene alguém por tomar a pílula,” diz Mary Jane Minkin, mestre em medicina, professora clínica de ginecologia da Yale School of Medicine. “Esse é outro estudo que mostra um pequeno aumento no risco do controle de natalidade hormonal- especialmente com o uso em longo prazo.”

Estudos anteriores, ela explica, mostraram que a probabilidade de uma mulher desenvolver câncer de mama aumenta um pouco enquanto ela está utilizando o controle de natalidade hormonal, mas esse pequeno aumento desaparece vários anos depois que ela para de usar. O novo estudo focou nas mulheres que atualmente ou recentemente pararam de usar a pílula; ele também olhou o uso em curto ou longo prazo. Mulheres que usaram controle de natalidade hormonal por menos de um ano tinham um risco maior de 9% de câncer de mama, enquanto aquelas que utilizaram por 10 anos ou mais tinham um risco 38% mais alto, descobriram os pesquisadores.

Esses números parecem muito importantes, mas em geral, eles se traduzem em uma mudança modesta no risco de câncer de mama. Esse aumento da chance de 20% equivale aproximadamente a um caso extra de câncer de mama a cada 7.690 mulheres usando controle de natalidade hormonal por ano, de acordo com o estudo.

Então, a facilidade da pílula vale o risco adicional? Depende. “Medicina é sobre riscos, benefícios e alternativas,” diz Christine Greves, mestre em medicina, obstetra-ginecologista no Orlando Health Hospital, na Flórida. “Você precisa pesar os riscos do controle de natalidade hormonal contra os benefícios.” Para algumas mulheres, simplesmente não ficar grávida é a principal prioridade e “contracepção hormonal é excelente em prevenir gravidez,” ela diz.

Ou talvez seja mais importante para você que o controle de natalidade hormonal ofereça proteção contra câncer de ovário, endométrio e colorretal, se um ou mais desses cânceres estão presentes na sua família. Talvez a pílula faça com que as suas cólicas de matar desapareçam. “Há diversas variáveis e muitos benefícios para a saúde vindos com o controle de natalidade hormonal,” diz a Dra. Minkin. “Não é um automático, ‘Não, você não deve tomar’ ou ‘Sim, você deve. ’”

Idealmente, as mulheres devem conversar com seus profissionais de saúde e examinar os prós e contras dos diferentes tipos antes de selecionar o melhor método para as suas necessidades. Isso é quando você deve levar em consideração qualquer risco individual de saúde (como se você já tem um risco aumentado de câncer de mama devido à mutação genética, diz a Dra. Greves) e as suas preferências pessoais (como o seu nível de conforto em ter um DIU inserido.)

Se você não quer desistir totalmente do controle de natalidade hormonal, mas está preocupada com câncer de mama, considere usá-lo por um menor período de tempo. “Quanto menor o tempo, menos um problema” o risco de câncer de mama se torna, diz a Dra. Minkin. Se você está muito nervosa, você e seu médico podem decidir interromper o uso por causa desse medo. “Se você está ansiosa a respeito disso, pare!” Dra. Minkin diz. “Se alguém diz ‘Toda vez que eu tomar a pílula eu ficarei aterrorizada! ’ Eu irei dizer ‘Vamos parar de usar a pílula! ’”

Apenas lembre, uma vez que você abandona o controle de natalidade hormonal, você precisa de um método reserva se você não quer engravidar, Dra. Minkin adverte. “Se você está aterrorizada, pegue algumas camisinhas, comece a usá-las hoje e então vá conversar com o seu profissional de saúde” sobre outras opções.

Fonte: Health

Se precisar de consultas com ginecologia, conte com a gente!