Sintomas de depressão: Como saber

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Sintomas de depressão: Como saber

A depressão

As pessoas experimentam a depressão de formas diferentes e, por isso, os sintomas de depressão variam. Ela pode interferir no seu trabalho diário, resultando em tempo perdido e menor produtividade. Ela também pode influenciar os relacionamentos e algumas condições crônicas da saúde, como:

  • Artrite
  • Asma
  • Doença cardiovascular
  • Câncer
  • Diabetes
  • Obesidade

Não tem plano de saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já

 

Se deixada sem tratamento, a depressão pode durar por meses ou anos. E pode piorar com o passar do tempo. Mesmo assim, aqueles que buscam tratamento, frequentemente, percebem uma melhora dos sintomas em apenas algumas semanas.

 

Tipos de depressão

Ela varia de gravidade. Algumas pessoas tem episódios suaves e temporários de tristeza. Outros têm episódios depressivos graves e contínuos. O seu médico pode lhe ajudar a achar um plano de tratamento baseado no tipo de que você tem.  Há dois tipos principais.

Transtorno depressivo persistente

É a forma mais severa da doença. Caracteriza-se por sentimentos persistentes de tristeza, desesperança e inutilidade que não desaparecem por conta própria. Você deve ter cinco ou mais dos seguintes sintomas  de depressão durante um período de duas semanas para ser diagnosticado:

  • Sentir-se deprimido na maior parte do dia
  • Perda de interesse na maioria das atividades regulares
  • Perda ou ganho significativo de peso
  • Dormir demais ou não conseguir dormir
  • Pensamento ou movimento mais lento
  • Fadiga ou baixa energia na maioria dos dias
  • Sentimentos de inutilidade ou culpa
  • Perda de concentração ou indecisão
  • Pensamentos recorrentes sobre morte ou suicídio

 

Sintomas de depressão botão cartão Doutor Já

Uma Alternativa aos Planos de Saúde

 

Subtipos diferentes de transtorno depressivo persistente

Os sintomas de depressão dos subtipos incluem:

  • Características atípicas
  • Início periparto, durante a gravidez ou logo após o parto
  • Padrões sazonais
  • Características melancólicas
  • Características psicóticas
  • Catatonia
  • Transtorno depressivo persistente

Esse tipo era chamado de distimia. É uma forma suave, mas crônica. Os sintomas, frequentemente, duram por pelo menos 2 anos. O TDP pode afetar mais a sua vida do que a depressão clínica porque dura por um período maior. Pessoas com TDP podem ser consideradas críticas e incapazes de se divertir. Alguns sintomas de depressão comuns são:

  • Falta de produtividade
  • Perderem interesse nas atividades diárias normais
  • Sentirem-se desesperadas, sem esperança
  • Terem baixa auto-estima

Outras formas de distúrbios do humor podem ter características únicas ou se desenvolver em circunstâncias específicas, tornando-os difíceis de classificar.

 

Causas da depressão

Há várias possíveis causas, como por exemplo um Trauma na primeira infância (0-6 anos). Isso ocorre porque alguns eventos afetam a forma como o corpo reage ao medo e a situações estressantes. Algumas pessoas desenvolvem a doença devido à sua genética. Você tem uma propensão maior de desenvolver se tiver um histórico familiar de depressão ou de outro distúrbio do humor.

Buscar Médicos – Consultas e Exames com Preços Acessíveis

Outras causas comuns

Elas incluem:

  • Estrutura cerebral: existe um risco maior de depressão se o lobo frontal do seu cérebro for menos ativo
  • Condições médicas, como doença crônica, insônia, dor crônica ou transtorno de déficit de atenção e hiperatividade
  • Uma história de abuso de drogas e álcool

Muitas outras pessoas não terão nenhuma causa discernível para a depressão. Cerca de 30% das pessoas que têm problemas de abuso de substâncias também experimentam depressão. Além desses casos, outros fatores de risco para a depressão incluem:

  • Baixa auto-estima ou auto-crítica
  • História pessoal de doença mental
  • Certos medicamentos
  • Eventos estressantes, como perda de uma pessoa querido, problemas econômicos ou um divórcio

 

Diagnosticando a depressão

Não há nenhum teste que diagnostica a depressão. No entanto, seu médico pode fazer um diagnóstico com base nos seus sintomas e numa avaliação psicológica. Na maioria dos casos, seu médico irá fazer uma série de perguntas sobre seu humor, apetite, padrão de sono, nível de atividade e pensamentos.

Como a depressão pode ser associada a outros problemas de saúde, seu médico também pode realizar um teste físico e solicitar um exame de sangue. Às vezes, problemas na tireóide ou deficiência de vitamina D podem desencadear sintomas de depressão.

Não ignore os sintomas de depressão. Se o seu humor não melhorar ou piorar, procure ajuda médica. A depressão é uma doença mental séria com riscos de complicações. A depressão não só afeta você, mas também seus entes queridos. Se não for tratada, as complicações dos sintomas de depressão podem ser:

  • Ganho ou perda de peso
  • Dor física
  • Problemas de abuso de substâncias
  • Ataques de pânico
  • Problemas de relacionamento
  • Isolamento social
  • Pensamentos suicidas
  • Auto-mutilação

 

Tratamentos para depressão

Viver com a doença pode ser difícil, mas o tratamento pode te ajudar a enfrentar. Fale com o seu médico sobre possíveis opções. Você pode administrar com sucesso os sintomas através de uma forma de tratamento. Também é comum combinar terapias convencionais e terapias de estilo de vida, incluindo o seguinte:

Medicamentos: seu médico pode prescrever medicamentos antidepressivos, anti-ansiedade ou antipsicóticos.

Psicoterapia: falar com um terapeuta pode lhe ajudar a aprender habilidades para lidar com sentimentos negativos. Você também pode se beneficiar de sessões de terapia familiar ou grupal.

Terapia de luz: a exposição a doses de luz branca pode ajudar a regular o humor e melhorar os sintomas depressivos. Esta terapia é comumente usada no transtorno afetivo sazonal (que agora é chamado de transtorno depressivo maior com padrão sazonal).

 

Outras medidas

Terapias alternativas: pergunte ao seu médico sobre acupuntura ou meditação. Alguns suplementos de ervas também são usados para tratar a depressão, como a erva-de-são-joão, o SAMe e o óleo de peixe.

Converse com seu médico antes de tomar um suplemento ou combinar um suplemento com a medicação prescrita. Fazer isso ajudará a prevenir complicações e efeitos colaterais. Alguns suplementos podem piorar a depressão ou reduzir a eficácia da medicação.

Exercício: tenha como meta 30 minutos de atividade física de três a cinco dias por semana. O exercício pode aumentar a produção de endorfinas do seu corpo, que são hormônios que melhoram o humor.

Evite álcool e drogas: beber ou usar drogas pode fazer você se sentir um pouco melhor. Mas, a longo prazo, essas substâncias podem piorar os sintomas de depressão e ansiedade.

Saiba como dizer não: sentir-se sobrecarregado pode piorar os sintomas de ansiedade e depressão. Definir limites na sua vida profissional e pessoal pode lhe ajudar a se sentir melhor.

Cuide-se: você também pode melhorar os sintomas de depressão cuidando de si mesmo. Isso inclui dormir bastante, ter uma dieta saudável, evitar pessoas negativas e participar de atividades agradáveis.

 

Visão geral para a depressão

A depressão pode ser sazonal, ou um desafio a longo prazo. O tratamento nem sempre faz a sua depressão desaparecer completamente. No entanto, ele geralmente torna os sintomas mais administráveis. Fique atento ao plano de tratamento recomendado pelo seu médico e discuta regularmente o seu progresso com ele. Controlar os sintomas da depressão envolve encontrar a combinação certa de medicamentos e terapias. Se um tratamento não funcionar, você pode ter resultados melhores com um diferente.

Fonte: Healthline

Clique aqui e marque a sua consulta com um psicológo!