Tratamento x Prevenção: Qual é o mais eficaz para sua saúde?

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Tratamento x Prevenção: Qual é o mais eficaz para sua saúde?

O que é o câncer de próstata e quais os efeitos do tratamento?

Câncer de próstata sempre tem sido uma exceção no campo de câncer. Diferentemente da maioria das formas dessa doença, tem crescimento lento e, embora possa ser fatal, na maioria dos casos é indolor o suficiente para que os homens tenham uma maior probabilidade de morrer de outras causas do que do próprio câncer.

Então, diagnosticar o câncer de próstata, como também descobrir os melhores jeitos de tratá-lo, desencadeou debates vigorosos e opiniões conflitantes nos últimos anos. Médicos levantaram preocupações acerca do uso do rastreio PSA, visto que esse levou a alguns tratamentos excessivos do câncer de próstata e causou mais efeitos colaterais- incluindo disfunção sexual e problemas urinários. Alguns especialistas advogam uma abordagem sem mãos chamada “vigilância ativa” ao invés de tratar imediatamente com cirurgia ou radiação, mas, fazer testes regulares e localizar o câncer para ter certeza que ele não está começando a crescer muito rapidamente.

Buscar Médicos – Consultas e Exames com Preços Acessíveis

Como largar esse estilo de tratamento pode ser melhor para a saúde?

Agora, um novo estudo pode mudar isso. É o primeiro a comparar vigilância ativa, cirurgia e radiação em um grupo de homens cujos testes de PSA indicaram que seus níveis são um pouco altos. Os 1.643 homens aceitaram ser aleatoriamente designados a um dos três tratamentos e acompanhados por 10 anos.

Entre todos os três grupos, a taxa de morte por câncer de próstata era baixa, cerca de 1%, e praticamente idêntica. Isso sugere que independentemente de qual tratamento os homens escolhessem, a sua probabilidade de morrer de câncer de próstata era a mesma. Considerando os efeitos colaterais e resultados adversos do tratamento do câncer de próstata, esses novos resultados podem ajudar alguns homens a escolherem abandonar tratamento agressivo e optar por tratamentos menos invasivos.

Houve algumas diferenças observadas nos homens. O grupo de vigilância ativa teve duas vezes mais progressão do câncer de próstata, incluindo metástases para outros tecidos, incluindo ossos e linfonodos, do que os homens que foram designados para cirurgia e radiação. Entretanto, mais câncer não significa sempre um risco mais alto de morte, como esse estudo descobriu. Isso não é fácil de entender e entre os homens que viram seus cânceres crescerem, cerca de 55% decidiu fazer cirurgia ou radiação e saíram do grupo de vigilância ativa.

Quando o monitoramento do câncer de próstata pode ser a opção certa?

A agressividade do câncer de próstata bem como o estado geral da saúde de um homem que ajudarão a determinar se o monitoramento ativo é a opção certa. Para homens mais velhos que podem não ser saudáveis e já sofrem problemas de outras doenças, por exemplo, as descobertas podem assegurar que eles não precisam tomar medidas imediatas se eles forem diagnosticados com câncer de próstata. Eles podem escolher monitoramento ativo tendo em vista que são mais propensos a morrer de outras causas.

Mas para mais novos, homens saudáveis diagnosticados com a doença, a escolha pode ser mais difícil. Devido a sua idade, ao longo do tempo o câncer é mais propenso a se espalhar, portanto, provavelmente precisarão tratá-lo com terapia hormonal após a cirurgia ou radiação. Por serem saudáveis, isso iria significativamente alterar a sua qualidade de vida, comparado com homens que poderiam ter escolhido cirurgia ou radiação antes, se o câncer não tivesse se espalhado e precisasse apenas de terapia hormonal temporária.

Buscar Médicos – Consultas e Exames com Preços Acessíveis

 

Como os homens irão interpretar esses resultados dependerá claramente da própria saúde e sua tolerância a efeitos colaterais. Mas essas descobertas pelo menos os fornecerão mais informações para tomarem decisões de tratamento com um pouco mais de segurança.

Fonte: Health

Se precisar de consultas com urologista, conte com a gente!