Tudo o que você precisa saber sobre glaucoma

Doutor Já Avatar

Doutor Já

Redação
Tudo o que você precisa saber sobre glaucoma

O que é glaucoma?

Glaucoma é uma doença ocular que pode danificar o nervo óptico. O nervo óptico fornece a informação visual dos seus olhos para o seu cérebro.

Geralmente, o glaucoma é causado pela pressão alta dentro do seu olho. Mas nem sempre. Com o passar do tempo, a pressão alta pode desgastar o tecido do seu nervo óptico, o que pode levar à perda de visão ou até mesmo à cegueira. Se a condição for descoberta no início, você pode conseguir evitar uma maior perda da visão.

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

Quais são os sintomas do glaucoma?

O tipo mais comum é o primário de ângulo aberto. Não há nenhum sinal ou sintoma com exceção da perda gradual de visão. Por esse motivo, é importante que você faça exames oftalmológicos anuais abrangentes para que seu oftalmologista ou especialista possa monitorar qualquer alteração na sua visão.

O glaucoma de ângulo fechado agudo, também conhecido como de ângulo estreito, é uma emergência médica. Se você Sentir qualquer um dos seguintes sintomas, procure um médico:

  • Dor ocular grave
  • Náusea
  • Vômito
  • Vermelhidão no olho
  • Distúrbios de visão súbita
  • Ver anéis coloridos ao redor das luzes
  • Visão turva repentina

O que causa o glaucoma?

A parte de trás do seu olho produz um fluido claro chamado humor aquoso. Quando esse fluido é feito, ele preenche a parte da frente do seu olho. Então, ele deixa o seu olho através de canais presentes na sua córnea e íris. Se esses canais estiverem bloqueados a pressão intraocular (PIO), pode aumentar, danificando o seu nervo. Se progredir, você pode começar a perder a visão no olho.

Nem sempre se sabe o que faz com que a pressão no seu olho aumente. Porém, médicos acreditam que um ou mais desses fatores possam ter um papel nisso:

  • Colírio dilatador
  • Drenagem bloqueada ou restrita em seu olho
  • Medicamentos, como corticosteróides
  • Fluxo sanguíneo fraco ou reduzido para o seu nervo óptico
  • Pressão arterial alta ou elevada

Quais são os tipos de glaucoma?

Há 5 tipos principais. Esses são:

Glaucoma de ângulo aberto crônico

O glaucoma de ângulo aberto ou crônico, não apresenta nenhum sintoma a não ser a perda gradual de visão. Essa perda pode ser tão lenta que a sua visão pode sofrer danos irreparáveis antes de qualquer outro sintoma ficar evidente.

Glaucoma de ângulo fechado (agudo)

Se o fluxo do seu humor aquoso for bloqueado, o rápido acúmulo do fluido pode causar um aumento severo, rápido e doloroso da pressão. O de ângulo fechado é uma situação de emergência. Você deve ligar para o seu médico imediatamente se você começar a sentir algum sintoma, como dor severa, náusea ou visão embaçada.

Glaucoma congênito

As crianças que nascem com glaucoma congênito possuem um defeito no ângulos dos seus olhos, o que desacelera ou evita a drenagem normal de fluidos. Ele geralmente apresenta sintomas, como olhos turvos, lacrimejamento excessivo ou sensibilidade à luz. É possível tê-lo no histórico familiar.

Glaucoma secundário

O glaucoma secundário é frequentemente um efeito colateral de outra condição ocular ou de uma lesão, como catarata ou tumores oculares. Medicamentos, como corticosteróides, também podem causar esse tipo.

Glaucoma de pressão normal

Em alguns casos, pessoas que não têm a pressão ocular alta podem ter os seus nervos ópticos danificados. A causa não é sabida. Contudo, a sensibilidade extrema ou a falta de fluxo sanguíneo para o nervo óptico pode ser um fator nesse tipo de glaucoma.

Quem está em risco?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o glaucoma é a segunda principal causa de cegueira ao redor do mundo. Os fatores de risco do glaucoma incluem:

Idade

As pessoas com mais de 60 anos estão em um maior risco de desenvolver glaucoma e esse risco aumenta um pouco mais a cada ano. Se você é afro-americano, você está em um maior risco a partir dos 40 anos.

Etnicidade

Os afro-americanos ou os afrodescendentes são significativamente mais propensos a desenvolver do que os caucasianos. As pessoas de ascendência asiática estão em maior risco de glaucoma de ângulo fechado e as pessoas de origem japonesa têm um maior risco de desenvolver o de pressão baixa.

Problemas oculares

A inflamação ocular crônica e as córneas finas podem levar a um aumento da pressão intraocular. Uma lesão física ou trauma no olho, tal como ser atingido no olho, também pode fazer a sua pressão ocular aumentar.

Histórico familiar

Alguns tipos podem estar presentes em famílias. Se o seu pai ou avô tiver um glaucoma de ângulo aberto, você tem uma maior probabilidade de desenvolver a condição.

Histórico médico

As pessoas com diabetes e aquelas com pressão arterial alta e doença cardiovascular tem um maior risco de desenvolver glaucoma.

Uso de certos medicamentos

Usar certos corticosteróides por longos períodos de tempo pode aumentar o seu risco de desenvolver glaucoma secundário.

Diagnóstico

Para diagnosticá-lo, o seu oftalmologista realizará um exame ocular abrangente. Ele verificará a presença de sinais de deterioração, incluindo perda do tecido ocular. Ele também poderá usar um ou mais dos seguintes exames ou procedimentos:

Histórico médico detalhado

O seu médico gostará de saber quais sintomas você tem experienciado e se você tem algum histórico pessoal ou familiar de glaucoma. Ele também pedirá uma avaliação geral de saúde para determinar se outras condições de saúde podem estar afetando a sua saúde ocular, como diabetes ou pressão alta.

Exame de Tonometria

Este tipo de exame mede a pressão interna do olho.

Exame de paquimetria

As pessoas com córneas finas têm um maior risco de desenvolver glaucoma. Um exame de paquimetria pode informar ao seu médico se as córneas são mais finas que o normal.

Exame de Perimetria

Este exame, também conhecido como teste de campo visual, pode informar ao seu médico se o glaucoma está afetando a sua visão ao medir a sua visão periférica ou lateral e sua visão central.

Monitoramento do seu nervo óptico

Se o seu médico quiser monitorar alterações graduais no seu nervo óptico, ele poderá tirar fotos do seu nervo óptico para fazer uma comparação lado a lado ao longo do tempo.

Como o glaucoma é tratado?

O objetivo do tratamento de glaucoma é reduzir a PIO a fim de evitar qualquer perda adicional de visão. Geralmente, o seu médico começará o tratamento com colírios prescritos. Se estes não funcionarem ou se um tratamento mais avançado for necessário, o seu médico poderá sugerir um dos seguintes tratamentos:

Medicamentos

Vários remédios feitos para reduzir a PIO estão disponíveis. Esses remédios estão disponíveis na forma de colírios ou pílulas, mas os colírios são mais comuns. O seu médico poderá prescrever um ou uma combinação de colírios.

Cirurgia

Se um canal bloqueado ou mais lento estiver causando o aumento da pressão intraocular, o seu médico poderá sugerir uma cirurgia para fazer um caminho de drenagem para o fluido ou destruir os tecidos que são responsáveis pelo aumento do fluido.

O tratamento para o glaucoma de ângulo fechado é diferente. Esse tipo de glaucoma é uma emergência médica e precisa de tratamento imediato para reduzir a pressão ocular o mais rápido possível.

Uma pessoa com glaucoma ficará cega?

Se a PIO puder ser parada e a pressão voltar ao normal, a perda de visão pode ser lenta ou até mesmo interrompida. Já que não há nenhuma cura para o glaucoma, você provavelmente precisará de tratamento para o resto da sua vida, a fim de regular a sua PIO (pressão intraocular). Infelizmente, a perda de visão não pode ser restaurada.

Pode ser evitado?

O glaucoma não pode ser evitado, mas ainda assim é importante detectar no início para que você comece o tratamento. O tratamento evitará que a condição piore. A melhor maneira de detectar qualquer tipo de glaucoma no início é ter uma consulta preventiva anual.

Marque uma consulta com um oftalmologista. Os exames simples realizados durante essas verificações de rotina podem detectar os danos antes deste avançar e começar a causar perda de visão.

Fonte: Health Line

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!